Notice: Uninitialized string offset: 135 in /home/content/q/u/e/queluz/html/plugins/system/SEOSimple.php on line 146
Recuperar o tempo perdido
Opinião
Escrito por PS Sintra   
Terça, 19 Agosto 2008 17:41
O executivo camarário aprovou, para 2008, com o voto favorável do Partido Socialista, duas propostas relativas a impostos municipais.
 
Verdade e Consequência
Opinião
Escrito por António Rodrigues   
Terça, 19 Agosto 2008 17:37

Existe uma tentação primária para fazer avaliações políticas do que parece evidente e óbvio e não por aquilo que é real. Os "sound bites" não são mais do que uma incapacidade de pensar estratégica e sustentavelmente para o futuro.

 
"Um dos momentos mais esperados pelos habitantes de Massamá"
Opinião
Escrito por JVN - Massamá, Cidade Aberta   
Quinta, 03 Julho 2008 18:01
Hoje, dia 3 de Julho às 11 horas, ocorreu um dos momentos mais esperados pelos habitantes de Massamá, a inauguração do Centro de Saúde.
 
O padeiro e a padaria / O vereador "extraterrestre"
Opinião
Escrito por Fátima Campos   
Domingo, 22 Junho 2008 15:50
Estamos a pouco mais de um ano das eleições autárquicas, e o afã eleitoral da CDU já é indisfarçável. A precipitação até seria ignorável, não fosse ela feita à custa de hipocrisia, não se servisse de instituições democraticamente eleitas e, ironicamente, não pusesse a nu a negligência grosseira dos seus protagonistas.
 
No passado sábado, o vereador da CDU da Câmara Municipal de Sintra – assim auto-intitulado - Engenheiro Baptista Alves, militantes e eleitos locais na freguesia de Monte Abraão, pela CDU, visitaram o Bairro 1º de Maio.
 
Caso Insólito: enxame de abelhas em Massamá
Opinião
Escrito por Raul   
Domingo, 04 Maio 2008 00:00

Ao procurar no parque de estacionamento automóvel na Avª. Azedo Gneco em Massamá um lugar para estacionar deparei com uma concentração enorme de populares, uma viatura de bombeiros e outra da PSP.

Já dentro do parque e após ter estacionado o meu automóvel quis então perceber a razão de tudo isto e percebi da existência num dos galhos dum arbusto existente naquele local um enorme enxame de abelhas que motivaram a curiosidade de toda aquela gente que teimava em aproximar-se e os agentes da PSP os afastavam para evitar que algum fosse vítima duma ferroada e ter de exercer contra o insecto a sua acção punitiva.

Estava tudo a olhar para o enxame pendurado no galho do arbusto e muito provavelmente porque me pareceu não haver solução para o problema, embora me parecesse que era fácil de resolver bastando para isso que se socorressem dum apicultor com experiência para lidar com esta situação de um enxame de abelhas em trânsito, fui-me embora sem saber quanto tempo mais este insólito caso demorou a resolver.

No blog Insinuações

 
O triunfo da erva-daninha
Opinião
Escrito por jvn   
Quinta, 01 Maio 2008 00:00
Um fenómeno novo no seio da deliquência assalta a atenção das autoridades: o Carjacking.
 
Organizam-se programas mediáticos, debate-se o facto, procuram-se soluções, explicações e probabilidades para este fenómeno importado, cujas raízes parecem estar na criminalidade urbana violenta das grandes cidades norte-americanas e brasileiras. Infelizmente Massamá não foge a estes acontecimentos tendo já ocorrido alguns assaltos a veículos em que o método aplicado foi o carjacking.

Na envolvência desta discussão, verbalizada e escrita, pode-se tentar perceber a relação entre o mundo do crime e os mundos virtuais violentos propostos por videojogos e filmes, e facilmente transpostos para a realidade já que exibem um carácter fortemente apelativo. Para esta discussão concorre o best-seller dos jogos virtuais, Grand Theft Auto, um sucesso entre adolescentes e jovens de todas as idades e classes sociais.

Trata-se de um verdadeiro simulador de carjacking, vendido entre os mais novos sem qualquer espécie de apreciação ou restrição, apesar de estar identificado como recomendado para maiores de 18 anos. Neste jogo, os objectivos alcançam-se através de grandes doses de violência sendo a principal técnica criminosa utilizada, o carjacking não menosprezando igualmente o atropelamento de peões, crianças ou adultos, e o abalroamento de veículos e bens públicos como parte fundamental do bom desempenho do jogador.

Evidenciando grande realismo gráfico, o jogo faz as delícias dos jovens já há alguns anos continuando a passar despercebido entre os responsáveis que deviam estar atentos a este tipo de manifestações e produtos, potencialmente adversos a correctas referências sociais e de cidadania para os mais novos. Neste jogo, os valores e princípios humanos, são derrubados da mente de qualquer jovem com a mesma facilidade com que se atropelam pessoas indefesas.

Está provada a relação directa entre certas manifestações mediáticas, neste caso os videojogos, e o comportamento de alguns segmentos da sociedade, sobretudo os mais novos. Sensíveis a este tipo de informação, os jovens são estimulados a absorver o teor agressivo veiculado em doses maciças na publicidade, em filmes, telediscos e videojogos. Os mecanismos utilizados desencadeiam propositadamente comportamentos miméticos entre o público-alvo que levam invariavelmente ao consumo de certos produtos.

Esta pequena nota vem a propósito do recente lançamento de Grand Theft Auto IV.

Mais um previsível sucesso feito à custa da violência gratuita e destinada às gerações mais novas, mesmo que cinicamente o jogo esteja classificado como sendo para adultos. Tranquila e paulatinamente, a educação social dos jovens de todo o mundo, instala-se nas mãos de quem manipula este tipo de meios. Para os produtores do Grand Theft Auto o objectivo é apenas um: vender o jogo, em quantidade e a qualquer custo, nem que para isso se criem gerações em que os comportamentos desviantes e criminosos sejam vulgares e banalizados.
 
 
 
Palácio magnífico mas em completo estado de degradação
Opinião
Escrito por Maria Lua   
Segunda, 28 Abril 2008 00:00
Há muito tempo que queria visitar o Palácio Nacional de Queluz e aproveitamos o facto de a entrada ser gratuita aos domingos e feriados (até 14h00), e fomos na passada sexta-feira.
 
Mas nada me preparou para o que iria encontrar: um Palácio magnífico (em França seria um Versailles!) mas em completo estado de degradação. E com um brinde: um pequeno papel informava que nos jardins realizavam-se trabalhos de recuperação, integrados num projecto, com a duração de seis anos!
 
A falta de tudo, nomeadamente de profissionalização dos técnicos de apoio ao museu, fez com que, ao sair, só tivesse vontade de chorar, por este país, por todos nós...

Como pode haver tamanha irresponsabilidade perante o nosso património? Como pode existir não sei quantos milhões para uma cimeira que ninguém queria e para recuperar/manter o que faz parte da nossa história, não há? Quem consegue deter estes criminosos que "pulam" e regozijam nos lugares de poder de um país em auto-destruição?
 
 
À espera do tempo certo...
Opinião
Escrito por jvn   
Quinta, 10 Abril 2008 00:00
Ao contrário do que afirmavam alguns acólitos socialistas concelhios, o Centro de Saúde de Massamá não abriu no final de Fevereiro. Naturalmente não abriu. Mas certamente vai ser inaugurado ainda durante o ano corrente, pois nos primeiros meses do próximo ano acontecerão eleições.
 
A propaganda é um instrumento enraizado entre as hostes socialistas, herdeiros naturais dos grupos republicanos que há cerca de 120-130 anos surgiam na sociedade das grandes cidades portuguesas. Gente letrada, oriunda da burguesia, que viu na inflamação popular através de meios propagandísticos a melhor forma de crescer e posteriormente derrubar a monarquia, directamente ou através de grupelhos subsidiários radicais, como veio a acontecer.

Quem compreenda os mecanismos desta técnica antevê as disposições.

Para além do interesse eleitoralista, outro aspecto há a considerar para que o Centro de Saúde de Massamá ainda não esteja a funcionar: pequenas alterações na concepção de funcionalidade, aspectos ergonómicos entre outros, têm que ser revistos pois não se encontram adequados ao perfeito uso das instalações.

Mais um entre os habituais casos de incompetência nas obras públicas: desresponsabilização e orçamentos com pouca aderência.
 
 
 
Um corredor ecológico em Queluz
Opinião
Escrito por LR   
Segunda, 10 Março 2008 00:00

Hoje foi publicado no Queluz, Cidade o mapa pormenorizado do leito de Cheia do Rio Jamor. Nessas imagens pode-se verificar quais as zonas em risco de cheia e com zona de construção condicionada.

Apesar de terem conhecimento deste estudo, a Junta de Freguesia de Queluz e a Câmara Municipal de Sintra pretendem acabar com o potencial de um espaço único em Queluz para dar lugar a uma rotunda e a uma nova estrada.

A Junta de Freguesia de Queluz pretende impermeabilizar ainda mais os solos com a construção de uma rotunda e uma estrada em paralelo ao Rio Jamor. A única instituição que acabou por salvar a população da Cidade de Queluz desta ideia dos autarcas terá sido o INAG que já por duas vezes recusou a construção desta via.

Ora o Rio Jamor passa num vale que divide a Junta de Freguesia de Monte Abraão e a Junta de Freguesia de Queluz. Neste vale existe potencial para criar um corredor ecológico:

  1. Ciclovia desde o centro de Belas até à estação de Comboios Queluz-Belas
  2. Percurso pedonal para passeio e atletismo
  3. Restauração de qualidade associada ao Rio e à Natureza
  4. Vários arbustos e árvores que permitam a absorção das águas do Rio Jamor
  5. Criação de zona de contenção em caso de cheias no Rio Jamor
  6. Reorganização e manutenção das hortas urbanas

Percurso do corredor ecológico:

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Rio jamor - Corredor Ecológico

Fotos do Rio Jamor antes e depois da chuva: 

Rio Jamor

LINK: Fotos do Rio Jamor em Queluz

 
<< Início < Anterior 1 2 Seguinte > Final >>

Página 1 de 2