segunda-feira, 24 de Março de 2008

Valor das casas em Sintra é o mais baixo da Grande Lisboa

< ![CDATA[
Na Grande Lisboa, o concelho de Sintra é o que tem casas mais baratas. Os preços médios de cada casa são os mais baixos quando comparados com outros concelhos vizinhos.
 
Segundo dados da Confidencial Imobiliário o preço médio de habitação em sintra é 1299 por  euros/m2.
 
Valor médio no Concelho de Sintra:
 
T0: ou Inf 87.775€
T2: 110.407
T3: 150.722
T4 ou Sup: 213.243
Moradia T3 ou Inf: 285.322
Moradia T4 ou Sup: 442.197

Valor médio no Concelho da Amadora:


T0: 95.276€
T2: 138.966€
T3: 191.494
T4 ou Sup: 244.568€
Moradia T3 ou Inf: 240.461€
Moradia T4 ou Sup: 399.880€

Valor médio no Concelho de Oeiras:

T0: 117.915€
T2: 166.023€
T3: 226.501€
T4 ou Sup: 326.306€
Moradia T3 ou Inf: 360.265€
Moradia T4 ou Sup: 567.457€

Paulo Veigas, director-geral da Veigas Imobiliária disse à Visão que na Grande Lisboa, o "cancro" das vendas das casas é o Concelho de Sintra. Por vezes na mesma rua, ou no mesmo prédio há mais do que uma casa há venda. Os preços são baixos e as vendas continuam difíceis.
 
]]>

sábado, 22 de Março de 2008

Funcionário espancado em Monte Abraão

Esta semana um funcionário do Modelo de Monte Abraão foi espancado por quatro jovens.
Estes jovens já tinham sido detidos no Modelo de Monte Abraão por furto de pizas. Após terem sido detidos pela polícia, a mesma viu-se obrigada a libertá-los. Mais tarde, os mesmos jovens regressaram ao Modelo para espancar o funcionário.

O Correio da Manhã refere que fonte policial disse que os jovens «não são nenhuns meninos de coro, andam armados e por isso é que ontem foram oito agentes da Brigada de Intervenção Rápida, de caçadeiras em punho, para o local».

Estes jovens estão indiciados de terem praticado assaltos a outros supermercados na Cidade de Queluz bem como às pastelarias.

Os jovens continuam em liberdade por falta de queixa nas autoridades ou por serem menores.

O funcionário do Modelo de Monte Abraão não apresentou queixa nas autoridades pois o seu responsável hierárquico no Modelo não autorizou. Por esta razão a PSP foi obrigada a pôr os jovens em liberdade.

Actualização 7 Abril

O empresa Modelo ao ser questionada sobre esta notícia respondeu o seguinte: «A política da  Empresa em situações que comprometam a integridade física dos seus colaboradores é sempre de apoio e acompanhamento. Neste caso em concreto  e após o apuramento dos factos,  informamos  que o colaborador em questão apresentou a sua queixa perante as autoridades, acompanhado por um responsável da loja onde exerce as suas funções.»

Funcionário espancado em Monte Abraão

Esta semana um funcionário do Modelo de Monte Abraão foi espancado por quatro jovens.
Estes jovens já tinham sido detidos no Modelo de Monte Abraão por furto de pizas. Após terem sido detidos pela polícia, a mesma viu-se obrigada a libertá-los. Mais tarde, os mesmos jovens regressaram ao Modelo para espancar o funcionário.

O Correio da Manhã refere que fonte policial disse que os jovens «não são nenhuns meninos de coro, andam armados e por isso é que ontem foram oito agentes da Brigada de Intervenção Rápida, de caçadeiras em punho, para o local».

Estes jovens estão indiciados de terem praticado assaltos a outros supermercados na Cidade de Queluz bem como às pastelarias.

Os jovens continuam em liberdade por falta de queixa nas autoridades ou por serem menores.

O funcionário do Modelo de Monte Abraão não apresentou queixa nas autoridades pois o seu responsável hierárquico no Modelo não autorizou. Por esta razão a PSP foi obrigada a pôr os jovens em liberdade.

Actualização 7 Abril

O empresa Modelo ao ser questionada sobre esta notícia respondeu o seguinte: «A política da  Empresa em situações que comprometam a integridade física dos seus colaboradores é sempre de apoio e acompanhamento. Neste caso em concreto  e após o apuramento dos factos,  informamos  que o colaborador em questão apresentou a sua queixa perante as autoridades, acompanhado por um responsável da loja onde exerce as suas funções.»

quinta-feira, 20 de Março de 2008

Estacionamento fora da lei

Provavelmente este assunto já foi abordado antes, mas nunca é de mais voltar à questão para alertar quem de direito no sentido de fazer ou mandar fazer alguma coisa antes que seja tarde.

Refiro-me ao estacionamento na zona central das Avenidas Prof. Egas Moniz e Dr. Fernando Ricardo Ribeiro Leitão, que ligam à Av. 25 de Abril e à Rua Direita.

Quantas vezes a carreira 110 não consegue avançar porque os carros ali estacionados dificultam as manobras?!

Mas há um perigo que é preciso ter em conta. No dia em que os bombeiros tiverem que acudir a um incêndio e e os autotanques não conseguirem passar nas ditas avenidas, vamos ver quem assume as responsabilidades!!

Senhor Presidente da Junta de Freguesia, já é tempo de fazer alguma coisa quanto a este problema. Se não for da sua competência, obrigue quem de direito a actuar. Sabemos que o problema tem a ver com a falta de estacionamento em Massamá, mas mais vale prevenir do que um dia destes assistirmos a alguma tragédia. Depois não venham para as televisões com o politicamente correcto, porque alguém deverá ser responsabilizado.

José Ramos

Divisão da PSP de Sintra reforçada

< ![CDATA[
Segundo o Correio da Manhã equipas ERT - Equipas de Reacção Táctica irão deter, interceptar e revistar indivíduos suspeitos sobretudo em Massamá, Cacém, Rio de Mouro e Mem-Martins. Caso haja Mandados de Captura pendentes, as ERT irão cumpri-los.
 
Esta trata-se de uma resposta da Direcção Nacional da PSP face à vaga de assaltos no Cacém e Queluz, onde em 10 dias ocorrem seis assaltos à mão armada. No final desta acção (apenas nas semanas da Páscoa), escreve o Correio da Manhã, irá ser feito uma avaliação das operações.
 
Além das Equipas de Reacção Táctica, o Grupo de Operações Especiais e o Corpo de Intervenção e Grupo Operacional Cinotécnico também estarão a patrulhar a Cidade de Queluz, Cacém, Rio de Mouro e Mem-Martins.
]]>

Divisão da PSP de Sintra reforçada

< ![CDATA[
Segundo o Correio da Manhã equipas ERT - Equipas de Reacção Táctica irão deter, interceptar e revistar indivíduos suspeitos sobretudo em Massamá, Cacém, Rio de Mouro e Mem-Martins. Caso haja Mandados de Captura pendentes, as ERT irão cumpri-los.
 
Esta trata-se de uma resposta da Direcção Nacional da PSP face à vaga de assaltos no Cacém e Queluz, onde em 10 dias ocorrem seis assaltos à mão armada. No final desta acção (apenas nas semanas da Páscoa), escreve o Correio da Manhã, irá ser feito uma avaliação das operações.
 
Além das Equipas de Reacção Táctica, o Grupo de Operações Especiais e o Corpo de Intervenção e Grupo Operacional Cinotécnico também estarão a patrulhar a Cidade de Queluz, Cacém, Rio de Mouro e Mem-Martins.
]]>

segunda-feira, 17 de Março de 2008

Fernando Seara fala à TSF e DN

< ![CDATA[
Fernando Seara indica que o princípio geral da candidatura às Câmaras Municipais são 8 anos - 2 mandatos, no entanto, mesmo após já estar oito anos em Sintra, não confirma se irá recandidatar-se.
 
No programa Discurso Directo da TSF, Fernando Seara responde mais a questões sobre Futebol, Política Nacional e da sua mulher: Judite de Sousa, do que sobre o Concelho de Sintra.
 
Fernando Seara na entrevista conta que no PSD passou de «bestial a besta», pois quando se candidatou pela primeira vez terá tido poucos apoios internos. No dia em que ganhou as eleições os apoios apareceram de todos os lados.
 

 
]]>

Seis pastelarias assaltadas em Queluz e Cacém

< ![CDATA[
Onde de assaltos a cafés e pastelarias espalha onda de terror na Linha de Sintra. O método é o mesmo: os assaltantes entram armados e encapuzados e em dois minutos levam a caixa registadora e bens.
 
Seis pastelarias foram assaltadas em dez dias na Cidade de Queluz e no Cacém. Testemunhas contam ao Correio da Manhã que «são miúdos, 17, 18, 19 anos».

Só no dia 7 de Março foram duas as pastelarias assaltadas na Cidade de Queluz. Num dos cafés roubados, foram quatro criminosos: um apontou a arma à cabeça de uma funcionária, dois roubaram a caixa registadora, e outro ficou de vigia na porta.O assalto ocorreu num minuto e meio.
 
O Correio da Manhã após visionar as imagens refere que é impossível identificar os assaltantes, e que apenas arrisca indicar que um dos assaltantes é o mesmo que assaltou pelo menos duas pastelarias, uma no Cacém e outra em Queluz.
 
Resposta do Gabinete Coordenador de Segurança
«Está previsto o reforço de patrulhamento. Mais visibilidade policial, aumento de agentes. E também em relação ao posicionamento de efectivos e reforço de unidades de intervenção.»
 
]]>

quinta-feira, 13 de Março de 2008

Hoje, a Policia Municipal, finalmente rebocou o autocarro e o barco

Hoje, a Policia Municipal, finalmente rebocou o autocarro e o barco.
Bravo! Louvemos quem ordenou o trabalho. Há que dar uma boa nota a quem tomou a iniciativa. Não é só os professores que devem ser classificados. Trabalhei 36 anos numa empresa pública e todos os anos a chefia classificava para podermos progredir na carreia.

Mudando de assunto.

A passagem pedonal sobre a via férrea, já permite a passagem de peões. Só o elevador do lado de Tercena que ainda está a ser acabado.

Assim sim há que dizer e louvar Massamá está no bom caminho. Pena é que à noite ainda não se possa falar em segurança total. Mas espero e faço votos que lá chegaremos.

Lopo Pegado

Carta de resposta das Estradas de Portugal



A empresa Estradas de Portugal enviou a seguinte carta ao advogado da família das vítimas negando qualquer responsabilidade pelas duas mortes.


«Assunto: Acidente ocorrido em 18.02.2008 em Belas

Acusamos a recepção da comunicação de V. EXA., acima referenciada, a qual mereceu a nossa melhor atenção.

Tendo em conta a intenção de vir a imputar responsabilidades à EP - Estradas de Portugal, S.A., pelo acidente ocorrido com a viatura na qual circulavam Zibia Coimbra e Sara Gomes, do qual resultou o falecimento e o desaparecimento das sinistradas, a EP procedeu a uma análise das condições em que o acidente terá ocorrido.

A estrada nacional em causa e, designadamente, o local onde se verificou o acidente, a EN 117, KM 8+400, encontrava-se devidamente conservada e, portanto, em condições adequadas. Acrescente-se que o local do acidente se situa junto ao muro de uma Quinta, propriedade de um particular, o qual ladeia a estrada paralelamente à Ribeira do Jamor, constatando-se que o mesmo não apresentava quaisquer sinais de fragilidade ou de deterioração, de acordo com os serviços de fiscalização levados a cabo pela brigada de conservação dos serviços da EP, com jurisdição no local.

Por outro lado, conforme foi amplamente divulgado pela comunicação social, o acidente ocorreu na sequência de fortes chuvadas, com uma quantidade de precipitação anormal, que provocaram várias inundações na região de Lisboa, tendo o local em causa sido afectado de modo especialmente gravoso pelo aumento e velocidade do caudal da Ribeira, factores que terão contribuído para a derrocada do muro.

Devemos ainda acrescentar que, de acordo com notícias divulgadas pela comunicação social, as duas vítimas terão sido alertadas por populares e outros automobilistas relativamente ao estado de alagamento da estrada e da consequente perigosidade no seu atravessamento, não tendo avaliado devidamente os riscos.

Assim sendo e pese embora a EP - Estradas de Portugal, S.A., lamente profundamente o sucedido com as duas vítimas, entendemos que não pode ser imputada à empresa qualquer responsabilidade pela ocorrência do acidente, o qual se ficou a dever a circunstâncias decorrentes de fenómenos naturais extraordinários e imprevisíveis.

Com os melhores cumprimentos,
O Conselho de Administração
Eduardo Andrade Gomes, Vice-Presidente
Rui Nelson Dinis, Administrador»


1.500 árvores plantadas na Escola da Guarda

< ![CDATA[

Amanhã a Escola da Guarda de Queluz irá antecipar as comemorações do Dia Mundial da Árvore que se comemora no dia 21 de Março.

Nas comemorações, a Escola da Guarda de Queluz irá convidar crianças de diversas Escolas de Ensino Básico no sentido de colaborarem na plantação de algumas das 1500 árvores que serão distribuídas no Espaço da Escola da Guarda em Queluz.
 
Comunicado da GNR

Na Escola da Guarda em Queluz serão recebidas, pelas 09:30 horas, 180 crianças do primeiro ciclo, que para além de visualizarem o módulo ambiental e educativo do SEPNA, poderão assistir a uma exposição interactiva dos meios institucionais.

As crianças participarão ainda na plantação de algumas das 1 500 árvores que serão cultivadas nos terrenos da Escola da Guarda.

Ao longo de todo o território nacional, e com o apoio da Brigadas Territoriais da GNR, serão efectuadas várias acções de sensibilização sobre o tema da floresta e do ambiente e plantadas diversas árvores em locais desarborizados, em especial os que foram afectados por incêndios no passado, contribuindo desta forma para a sua reflorestação.

Apesar do Dia Mundial da Floresta e da Árvore se comemorar tradicionalmente a 21 de Março, a GNR antecipa as actividades de modo a que a comunidade escolar, que se encontrará em período de férias nesse dia, possa participar nas diversas acções.

Finalmente!!!!

< ![CDATA[

Hoje, a Policia Municipal, finalmente rebocou o autocarro e o barco.

Bravo! Louvemos quem ordenou o trabalho. Há que dar uma boa nota a quem tomou a iniciativa. Não é só os professores que devem ser classificados. Trabalhei 36 anos numa empresa pública e todos os anos a chefia classificava para podermos progredir na carreia.

Mudando de assunto.

A passagem pedonal sobre a via férrea, já permite a passagem de peões. Só o elevador do lado de Tercena que ainda está a ser acabado.

Assim sim há que dizer e louvar Massamá está no bom caminho. Pena é que à noite ainda não se possa falar em segurança total. Mas espero e faço votos que lá chegaremos.

 

]]>

Escola EB1 Nº 2 de Queluz encerrada

< ![CDATA[
A Escola EB1 Nº 2 de Queluz estará amanhã encerrada devido a uma praga de abelhas que invadiu a escola. A SIC Notícias informou que amanhã será realizada uma desinfestação e por isso a escola estará encerrada.
 
 
]]>

Estradas de Portugal nega responsabilidades

< ![CDATA[
A empresa pública Estradas de Portugal veio afirmar hoje que não teve quaisquer responsabilidades na morte das duas vítimas no Rio Jamor, e que o acidente se deveu apenas às chuvas, «especialmente gravoso pelo impacto do aumento e velocidade do caudal da ribeira».

Assim, nem a Câmara Municipal de Sintra nem a empresa pública Estradas de Portugal se consideram responsáveis pelas duas mortes.

Já o advogado da família das duas mulheres que faleceram indica o contrário: «Em Portugal é assim. Um caminho de estradas de cabras sem condições de escoamento é considerado uma estrada nacional»

À LUSA, António Pragal Colaço afirmou que "o que está em causa é a própria fisionomia do local, que não tem condições de circulação" onde a câmara de Sintra e a Estradas de Portugal "têm responsabilidades"

A Família através do advogado António Pragal Colaço irá processar a Câmara Municipal de Sintra e as Estradas de Portugal devido a estas duas mortes. 

]]>

quarta-feira, 12 de Março de 2008

Banco de Ajudas Técnicas na Freguesia de Monte Abraão

A Junta de Freguesia de Monte Abraão disponibiliza o Banco de Ajudas Técnicas por forma a "reforçar os serviços de Saúde e Segurança Social, proporcionando resposta aos residentes na Freguesia que careçam de algum tipo de equipamento técnico, nomeadamente camas articuladas, cadeiras de rodas e andarilhos".

Neste âmbito, após atendimento de índole social, "o equipamento é disponibilizado sob a forma de empréstimo, comprometendo-se o utente a devolvê-lo, após a sua utilidade". Neste sentido, a Junta de Freguesia aceita doações de equipamentos variados (novos e semi-novos), nomeadamente cadeiras de rodas, canadianas, andarilhos, camas articuladas, colchões anti-escaras, bem como fraldas para dependentes.Os interessados poderão entregar os equipamentos na Junta de Freguesia de Monte Abraão, sita na Av. da Liberdade nº 31, 2745 - 300 Queluz ou, contactar a autarquia através dos números 214373635 ou 214390839.

Junta de Freguesia de Monte Abraão

segunda-feira, 10 de Março de 2008

Protestos contra a Alta Tensão

< ![CDATA[
O Movimento Nacional contra as Linhas de Alta Tensão nas zonas urbanas realiza esta quarta-feira, dia 12, pelas 15 horas, novo protesto junto ao Ministério da Economia, na Rua da Horta Seca (largo Camões) em Lisboa.
 
O protesto será feito por moradores de Guimarães e de Almada e contará com uma delegação de moradores do Concelho de Sintra. Fátima Campos, presidente da Junta de Freguesia de Monte Abraão também estará presente.

Segundo o blog Muita Alta Tensão , os organizadores deste protesto dizem que será "o inicio de um novo ciclo de protestos, que terminará com uma manifestação de nível nacional, com data ainda a marcar e com a presença de moradores de Sintra, Guimarães, Almada, Seixal, Odivelas, Silves, Setúbal, Rebordosa (Porto) Amadora e Batalha"
]]>

Um corredor verde em Queluz ameaçado por uma nova estrada

Hoje foi publicado no Cidadania Queluz o mapa pormenorizado do leito de Cheia do Rio Jamor. Nessas imagens pode-se verificar quais as zonas em risco de cheia e com zona de construção condicionada.


Apesar de terem conhecimento deste estudo, a Junta de Freguesia de Queluz e a Câmara Municipal de Sintra pretendem acabar com o potencial de um espaço único em Queluz para dar lugar a uma rotunda e a uma nova estrada.


A Junta de Freguesia de Queluz pretende impermeabilizar ainda mais os solos com a construção de uma rotunda e uma estrada em paralelo ao Rio Jamor. A única instituição que acabou por salvar a população da Cidade de Queluz desta ideia dos autarcas terá sido o INAG que já por duas vezes recusou a construção desta via.


Ora o Rio Jamor passa num vale que divide a Junta de Freguesia de Monte Abraão e a Junta de Freguesia de Queluz. Neste vale existe potencial para criar um corredor ecológico:





  1. Ciclovia desde o centro de Belas até à estação de Comboios Queluz-Belas

  2. Percurso pedonal para passeio e atletismo

  3. Restauração de qualidade associada ao Rio e à Natureza

  4. Vários arbustos e árvores que permitam a absorção das águas do Rio Jamor

  5. Criação de zona de contenção em caso de cheias no Rio Jamor

  6. Reorganização e manutenção das hortas urbanas


Percurso do corredor ecológico:


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Rio jamor - Corredor Ecológico


Fotos do Rio Jamor antes e depois da chuva:


Rio Jamor


LINK: Fotos do Rio Jamor em Queluz

Fátima Campos recandidata-se à Junta de Monte Abraão

< ![CDATA[

Segundo o Público, Fátima Campos, actual Presidente da Junta de Freguesia de Monte Abraão tenciona recandidatar-se à Junta de Freguesia de Monte Abraão em 2009.

Fátima Campos nega a possibilidade de se candidatar à Câmara Municipal de Sintra. Fátima Campos responde à pergunta sobre a sua possível candidatura: «Mas não, a Câmara de Sintra para mim é um mundo e é também de mim conseguir controlar todas as situações. Eu aqui na freguesia gosto de saber sempre se na rua tal o buraco já está tapado, se o poste que caiu lá mais acima…»
 
Fátima Campos revela que assustou muita gente ao se transformar numa figura nacional

«Assustei foi muita gente, inclusive do meu partido. Querem ver que a fulana está a fazer isto para se candidatar à câmara, para um cargo maior, ou a nível de Governo. Mas eu pu-los logo sossegadíssimos ao dizer que eu não queria ser mais nada além de presidente de junta, e só de Monte Abraão.»
 
Ana Gomes recentemente convidou Fátima Campos para encabeçar a sua lista nas eleições ao PS Sintra, no entanto, Fátima Campos recusou.
 
]]>

Queluz vence Angra Basket 90-84

Já no fim, e fora de casa, o Queluz venceu a equipa Angra Basket por 90-84. O Queluz mantem assim o 3º lugar na Proliga.


Os próximos jogos serão:

15/03/2008
Ass.Academica Coimbra  vs. Queluz Sintra PMundial

21/03/2008

Queluz Sintra PMundial vs. Illiabum

30/03/2008
Sampaense/Tec.Coimbra vs. Queluz Sintra PMundial

12/04/2008
Queluz Sintra PMundial vs. Sport Lisboa e Benfica

19/04/2008

Seixal FC /Slimcei  vs. Queluz Sintra PMundial

Classificações 25ªJornada
1º Sport Lisboa e Benfica
2º VSC -M.Couto Alves
Queluz Sintra PMundial
4º Illiabum

domingo, 9 de Março de 2008

Fátima Campos : "uma mulher com extraordinário trabalho feito por Sintra"

Segundo Ana Gomes, Fátima Campos recusou o seu convite para encabeçar a lista B nas eleições do PS Sintra, pois naquele momento estaria indisponível para integrar qualquer lista.

Apesar da negativa, Ana Gomes elogia o trabalho de Fátima Campos em Sintra classificando-a como «uma mulher com extraordinário trabalho feito por Sintra» e foi esse o motivo que levou ao convite.


Apesar da derrota, Ana Gomes refere no Causa Nossa que considera positivo e encorajador o resultado, pois este foi o primeiro passo no trabalho que pretende desenvolver em Sintra.


Ana Gomes lamenta sobretudo a forte abstenção dentro do PS Sintra que rondou os 70%.


Os resultados dos 30% que votaram


A lista A de Rui Pereira elegeu 39 elementos para a Comissão Política do PS Sintra, enquanto a Lista B de Ana Gomes elegeu 11 elementos para a mesma Comissão.




sexta-feira, 7 de Março de 2008

Concurso de Fotografia sobre a Cidade de Queluz

< ![CDATA[
O grupo Queluz Criativas do Concurso Cidades Criativas lançou este mês o Concurso de Fotografia “Queluz, Passado com futuro”. O tema do concurso é “Queluz, passado com futuro” «o qual poderá ter várias vertentes, espaço antigos, modernos, ou conjugação do antigo com moderno».
 
«Nós, o grupo Queluz_criativas  pretendemos lançar um concurso de fotografia sobre Queluz com o tema, “Queluz, passado com futuro”. O qual será, não só destinado a toda comunidade lectiva da escola Padre Alberto Neto, mas também a todos os moradores de Queluz. Com este concurso pretendemos alargar o espólio fotográfico de Queluz que tem vindo a ser organizado por outros alunos da nossa turma, mas também dar a conhecer locais mais remotos de Queluz. Será uma importante forma de dar a conhecer Queluz, e motivar toda a comunidade.

Infelizmente ainda não temos os prémios disponiveis devido à falta de apois, estamos a tentar arranjar patrocinios.»
 
O regulamento pode ser consultado no Blog  Queluz_Criativas ]]>

quinta-feira, 6 de Março de 2008

Eleições no PS Sintra

< ![CDATA[
Amanhã decorrem eleições no PS Sintra. Existem duas listas candidatas, a lista A liderada por Rui Pereira (actual vereador na Câmara Municipal de Sintra), a lista B liderada por Ana Gomes (actual deputada no Parlamento Europeu). 

Ana Gomes, líder da lista B escreveu no seu blog A Aba da Causa 7 perguntas e respostas sobre a sua candidatura:

1. Porque nos candidatamos à Comissão Política da Concelhia do PS-Sintra?

Antes de mais, porque somos sintrenses e queremos o melhor para o nosso Concelho. E porque acreditamos que é possível construir um projecto de boa-governação socialista para Sintra.
Um projecto assente no desenvolvimento e na criação de emprego, na promoção da integração social multi-cultural e da segurança, na defesa da paisagem, do património e da qualidade ambiental, no ordenamento urbano, na promoção da educação e da cultura e na projecção nacional e internacional de Sintra – em resumo, na melhoria da qualidade de vida e no aumento das oportunidades para os sintrenses.


2. Porque é que esta lista apareceu tão tarde?

Avançamos, de facto, tarde: só tomámos a decisão de apresentar a lista em 24 de Fevereiro, com prazo de entrega das candidaturas até ao dia 26, estando as eleições para a Comissão Politica Concelhia de Sintra do PS marcadas já para 7 de Março.
Desde há algum tempo que tínhamos a confirmação da Camarada Ana Gomes de que integraría esta lista, mas ela julgava mais adequado que algum/alguma socialista já com trabalho feito em Sintra, por Sintra, encabeçasse a candidatura. Ela só queria começar a fazer trabalho por Sintra. Finalmente acabou por aceitar o desafio de encabeçar a lista, para que os militantes não ficassem sem alternativa nas eleições para a Concelhia de Sintra .
Por outro lado confrontámo-nos, depois, com a necessidade de corrigir irregularidades – alguns militantes ainda não tinham todas as quotas pagas. E defrontámo-nos, já depois de termos entregue as listas completas, com alguns camaradas a serem pressionados a desistir da nossa candidatura. Superámos essas dificuldades, resultantes de pressões de quem tem receio da competição democrática.
Só ao fim do dia 3 de Março tivemos a confirmação, pelos órgãos eleitorais competentes da FAUL, de que a nossa lista de candidatura fora considerada válida e finalmente aceite. Só a partir dessa noite pudemos assumir e publicitar a nossa candidatura. Por isso não teremos já tempo para organizar encontros com todos os militantes, como tínhamos planeado e era nossa vontade.
Mas temos projectos de acção e compromissos a propor a todos os socialistas sintrenses que nos derem a confiança do seu voto nas eleições do dia 7.


3. Como avaliamos a actuação recente do PS no Concelho e na Câmara de Sintra?

Ouvimos muitos militantes e muita gente de Sintra sobre a actuação do PS no concelho e na Câmara, especificamente. E por isso decidimos apresentar uma alternativa aos militantes do PS-Sintra: uma alternativa à política para Sintra que representa a lista encabeçada pelo Camarada e Vereador Rui Pereira.
Decidimos competir democraticamente, lealmente, apresentando a candidatura “SOCIALISTAS POR SINTRA” à Comissão Política Concelhia do PS, com Ana Gomes à frente de um grupo de militantes empenhados em trabalhar por Sintra. Queremos contribuir para mobilizar e unir os militantes do PS em torno de um projecto de mudança que dê nova dinâmica a Sintra e defenda os interesses dos sintrenses.
Entendemos que o PS precisa de pensar estrategicamente Sintra. Para identificar os problemas, as soluções e as prioridades de acção, o PS precisa de se abrir aos contributos de quem vive em Sintra, de quem vive Sintra e de quem faz viver Sintra. Só assim poderemos responder com visão, competência e eficácia aos desafios que se apresentam ao concelho.
O Concelho de Sintra não pode continuar sem rumo, sem dinamismo, a perder qualidade e oportunidades. E, para isso, o PS-Sintra tem de ser diferente: precisa de liderança ambiciosa, mobilizadora e aberta ao diálogo dentro do partido. E para fora do partido. O PS-Sintra não pode ficar calado, sem posição, acomodado perante a actual gestão do PSD. Precisa de mudar.

4. Que métodos de trabalho propõe esta lista para o funcionamento da Concelhia de Sintra?

Connosco na presidência e em maioria na Comissão Política Concelhia, todos os militantes e todos os sintrenses terão oportunidade de contribuir para as decisões políticas do PS-Sintra. Queremos incentivar a participação das mulheres e dos jovens, precisamos da renovação e da criatividade que nos podem trazer. Queremos também aproveitar melhor a experiência dos socialistas que desempenham, ou já desempenharam, funções autárquicas.
Connosco na presidência e em maioria na Comissão Política Concelhia, de três em três meses serão convocadas reuniões abertas a todos os militantes. E, pelo menos de seis em seis meses, será convocada uma reunião aberta à participação de todos os sintrenses interessados. Para essas reuniões serão convidados os vereadores do PS na Câmara e os responsáveis socialistas nas Juntas de Freguesia.
Nesta candidatura e na Comissão Política da Concelhia do PS-Sintra exigimos sentido do dever, vontade de prestar serviço à comunidade, rigorosa prestação de contas e determinação em lutar contra a corrupção e o compadrio.

5. Se vencermos nas eleições para a Comissão Política Concelhia, que reflexos haverá na preparação da candidatura à presidência da Câmara e na campanha para as próximas eleições autárquicas?

Na lista “Socialistas por Sintra” competimos leal e democraticamente, sujeitando-nos ao veredicto dos militantes do PS.
Para nos sentirmos vencedores teremos, pelo menos, de obter uma representação significativa na Comissão Política da Concelhia, determinada pelo método de Hondt.
A partir daí vamos passar a acompanhar por dentro, atentamente, o que o PS-Sintra decide fazer ou não fazer por Sintra. Vamos procurar participar na preparação de um programa ganhador para o PS-Sintra nas próximas eleições autárquicas.
A candidatura do PS à Câmara de Sintra nas eleições de 2009 será decidida nos órgãos competentes do PS, a seu tempo. Nós propomo-nos trabalhar para que os militantes do PS-Sintra sejam devidamente ouvidos nas decisões que o PS tomar sobre a campanha para as próximas eleições autárquicas.
Queremos contribuir para que o PS-Sintra represente realmente os seus militantes e os interesses dos sintrenses. Podemos fazê-lo melhor estando em maioria na Comissão Política Concelhia do PS.
Para isso a lista “Socialistas por Sintra” precisa de merecer a confiança e os votos dos militantes socialistas de Sintra.


6. Como caracterizamos o concelho de Sintra?

O nosso concelho tem potencialidades extraordinárias, únicas em Portugal e raras na Europa. Não só graças à geografia, à paisagem deslumbrante, ao riquissimo património arquitectural e cultural, às aptidões para o turismo, o lazer, o desporto, à fundamental diversidade urbana e rural e às valências cidade/praia/campo que é imperioso preservar. Mas a mais importante riqueza de Sintra é a gente que vive, trabalha e estuda em Sintra, a gente que faz viver Sintra.
Somos cerca de 400.000 habitantes, somos o segundo concelho de Portugal em população, temos uma das populações mais jovens do país e a maior população estudantil do país, além da riqueza que resulta da diversidade étnica e multi-cultural dos sintrenses, particularmente sentida nas freguesias m
ais populosas, como Algueirão-Mem Martins, Agualva-Cacém, Queluz-Massamá-Monte Abrãao.
E, no entanto, Sintra não tem hoje peso nacional correspondente, nem acessibilidades básicas, nem desenvolvimento, nem actividades empresariais inovadoras e criadoras de emprego, nem iniciativas que projectem o concelho.
Há projectos de infra-estruturas para Sintra que há muito deviam estar concluídos, como o IC30, IC16, e a circular nascente e circular poente do Cacém, além da requalificação urbana de Algueirão-Mem Martins.
Se ficarmos à frente da Comissão política concelhia do PS-Sintra vamos bater-nos pela conclusão rápida de todos os projectos em atraso, que tanta falta fazem aos sintrenses. E pelos novos projectos que proporemos: por exemplo, o metro de superfície entre Sintra e as zonas litorais de Oeiras/Cascais e entre as cidades que constituem o concelho, para permitir mais flexibilidade de transporte aos 400.000 habitantes de Sintra.


7. O que propomos para o concelho de Sintra?

Precisamos de investir na integração social multi-cultural – só isso, a par do reforço policial, pode trazer segurança às zonas mais problemáticas do concelho.
Precisamos de defender melhor o património paisagistico, arquitectural e cultural e a qualidade ambiental em todo o território do concelho.
Precisamos de um ordenamento urbano que sirva a qualidade de vida dos sintrenses, não os interesses de especuladores imobiliários.
Precisamos de ver rapidamente concretizada a acessibilidade entre o Concelho e Lisboa e a costa litoral, de Oeiras a Cascais, bem como a acessibilidade dentro do Concelho.
Precisamos de promover um plano energético que incentive e apoie a eficiência dos consumos domésticos e desenvolva o potencial de energias renováveis do concelho.
Temos de assegurar a qualidade na educação, promover a cultura e atraír para o concelho empresas e instituições que invistam na inovação cientifica e tecnológica e criem emprego de qualidade.
Temos de combater a pobreza e a exclusão social, empenhando-nos na acção social de protecção e apoio aos mais vulneráveis: as crianças e os idosos.
Precisamos de saber mobilizar para Sintra os fundos europeus disponíveis para apoiar a superação de todas as suas principais carências e o desenvolvimento de todas as suas potencialidades.
Precisamos de tomar iniciativas que vão ao encontro das aspirações dos jovens do concelho de Sintra.
Temos de saber projectar Sintra nacional e internacionalmente.
Precisamos, em suma, de trabalhar pela melhoria da qualidade de vida e peloaumento das oportunidades para quem vive em Sintra, vive Sintra e faz viver Sintra.

O Alvor de Sintra entrevistou Rui Pereira. A entrevista pode ser lida aqui.

 
]]>

Sintra avança com Taxa Municipal de Protecção Civil

< ![CDATA[
A Câmara Municipal de Sintra irá avançar com a cobrança da Taxa Municipal de Protecção Civil.

O projecto Regulamento Municipal de Protecção Civil do Município de Sintra encontra-se em apreciação pública até ao dia 4 de Abril. O mesmo documento decorre da aprovação da Lei n.º 65/2007 que delega responsabilidades de Protecção nas Câmaras Municipais e define as suas funções:

1 — São objectivos fundamentais da protecção civil municipal:

a) Prevenir no território municipal os riscos colectivos e a ocorrência de acidente grave ou catástrofe deles resultante;
b) Atenuar na área do município os riscos colectivos e limitar os seus efeitos no caso das ocorrências descritas na alínea anterior;
c) Socorrer e assistir no território municipal as pessoas e outros seres vivos em perigo e proteger bens e valores culturais, ambientais e de elevado interesse público;
d) Apoiar a reposição da normalidade da vida das pessoas nas áreas do município afectadas por acidente grave ou catástrofe.

2 — A actividade de protecção civil municipal exerce-se nos seguintes domínios:

a) Levantamento, previsão, avaliação e prevenção dos riscos colectivos do município;
b) Análise permanente das vulnerabilidades municipais perante situações de risco;
c) Informação e formação das populações do município, visando a sua sensibilização em matéria de autoprotecção e de colaboração com as autoridades;
d) Planeamento de soluções de emergência, visando a busca, o salvamento, a prestação de socorro e de assistência, bem como a evacuação, alojamento e abastecimento das populações presentes no município;
e) Inventariação dos recursos e meios disponíveis e dos mais facilmente mobilizáveis, ao nível municipal;
f) Estudo e divulgação de formas adequadas de protecção dos edifícios em geral, de monumentos e de outros bens culturais, de infra -estruturas, do património arquivístico, de
instalações de serviços essenciais, bem como do ambiente e dos recursos naturais existentes no município;
g) Previsão e planeamento de acções atinentes à eventualidade de isolamento de áreas afectadas por riscos no território municipal.

A Câmara Municipal de Sintra define que os agentes dos Serviços de Protecção Civil Municipal serão: 

a) As Forças Armadas;
b) A Polícia de Segurança Pública;
c) A Guarda Nacional Republicana;
d) A Polícia Municipal;
e) Os Corpos de Bombeiros;
f) A Autoridade Marítima;
g) A Autoridade Aeronáutica;
h) A Autoridade de Saúde Concelhia;
i) A Autoridade Médico-Veterinária Concelhia;
j) Instituto Nacional de Emergência Médica;
k) As Unidades de Saúde do Concelho;
l) A Cruz Vermelha Portuguesa;
m) Os Sapadores Florestais;

As taxas a cobrar:

A taxa será cobrada na Factura da água, ou seja, na factura dos SMAS. O cálculo será feito da seguinte forma:

a) Prédios urbanos – 0,035 % do VPT, com um valor mínimo de 15,00 euros;
b) Prédios urbanos devolutos – 0,045 % do VPT, com um valor mínimo de 20,00 euros;
c) Prédios urbanos afectos a indústria, comércio e serviços – 0,050 % do VPT, com um
valor mínimo de 25,00 euros;
d) Prédios rústicos – 0,05 % do VPT, com um valor mínimo de 20,00 euros;
e) Prédios rústicos inseridos em áreas florestais ou em situação de abandono – 0,06 %
do VPT, com um valor mínimo de 25,00 euros;

 
]]>

segunda-feira, 3 de Março de 2008

Mega-Operação na Cidade de Queluz

< ![CDATA[
Neste fim-de-semana a PSP levou a cabo uma mega-operação na Cidade de Queluz (Queluz, Massamá, Monte Abraão) e freguesias próximas: Agualva, São Marcos, Mem Martins, Casal de Cambra, Mira Sintra, Belas e Rio de Mouro.

«O principal objectivo foi aumentar o sentimento de segurança na população, que também implicou verificar a identidade a dezenas de pessoas» explicou a comissária Paula Monteiro do Comando Metropolitano de Lisboa. «A polícia também verificou 31 estabelecimentos comerciais e de diversão nocturna onde detectou 39 infracções à lei, sendo a falta de livro de reclamações, a venda de álcool a menores e o licenciamento irregular, alguns dos casos detectados».

Números da Mega Operação:

  • 500 Agentes Policiais
  • 31 Estabelecimentos de diversão nocturna fiscalizados
  • 8 armas de fogo apreendidas
  • 8 mil euros em dinheiro
47 detenções:
  • 30 por condução com excesso de álcool
  • 6 por posse ilegal de arma
  • 6 por falta de carta de condução
  • 2 por tráfico de droga
  • 2 por desobediência à autoridade
  • 1 por permanência ilegal no território nacional
 
]]>

Mega-Operação na Cidade de Queluz

< ![CDATA[
Neste fim-de-semana a PSP levou a cabo uma mega-operação na Cidade de Queluz (Queluz, Massamá, Monte Abraão) e freguesias próximas: Agualva, São Marcos, Mem Martins, Casal de Cambra, Mira Sintra, Belas e Rio de Mouro.

«O principal objectivo foi aumentar o sentimento de segurança na população, que também implicou verificar a identidade a dezenas de pessoas» explicou a comissária Paula Monteiro do Comando Metropolitano de Lisboa. «A polícia também verificou 31 estabelecimentos comerciais e de diversão nocturna onde detectou 39 infracções à lei, sendo a falta de livro de reclamações, a venda de álcool a menores e o licenciamento irregular, alguns dos casos detectados».

Números da Mega Operação:

  • 500 Agentes Policiais
  • 31 Estabelecimentos de diversão nocturna fiscalizados
  • 8 armas de fogo apreendidas
  • 8 mil euros em dinheiro
47 detenções:
  • 30 por condução com excesso de álcool
  • 6 por posse ilegal de arma
  • 6 por falta de carta de condução
  • 2 por tráfico de droga
  • 2 por desobediência à autoridade
  • 1 por permanência ilegal no território nacional
 
]]>

Jornais

Últimas imagens

Roteiro da cidade de Queluz

Arquivo

Blogs

Últimos documentos

Últimos comentários

Últimos artigos

Economia

Internacional

Contacte-nos através do mail@queluz.org

Voltar ao topo